quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Uma prostituta

Doa a todos a sua virilidade e só pede em troca,
alguns trocos. O que pode siguinificar pouco...
Passa a ser muito para uma massa, para um todo.
Para ela, ser o que É, é só para alguns seletos.

Seu corpo causa tanta ostenta, que alcooliza,
causa fome, fadiga e no fundo conformiza...
É perversa para os que não a consomem.
Ah! Senhores, oportunidade tem poucos homens.

Busca-se então outra possibilidade...
Um vigor tal, não pode ser assim, tão selvagem.
Domar e sugar seu seio murcho e farto.

É para ser prazer de todos, isso, amigos, é fato.
Explora-la, consumi-la, aproveita-la, não basta.
A ela paga-se uma chance e a espera numa fila.

3 comentários:

Wandinha disse...

Seria uma honra colaborar com mais um dos poetas do meu Brasil ^^
Está faltando poesia na vida das pessoas *-* para que elas possam enxergar a vida com mais leveza

Wandinha disse...

Bom dia senhorito, estou aguardando novas postagens suas ^^

O viajante do mundo perdido. disse...

Sou teu fã, Darlan!