quarta-feira, 26 de setembro de 2007

O diario de Nina (resenha)

Nina, uma garota soviética, aos 13 anos era uma menina, pessimista, orgulhosa, almejava um sonho: ser escritora, mas achava que não tinha talento pra isso, assim como para qualquer outra coisa. Considerava-se Horrivelmente feia. "À essa expressão desagradável corresponde traços específicos: testa grande, olhos pequenos de gato, maldosos ou inexpressivos, (...)". "portanto, não tenho uma única caracteristica positiva".
Admirava os homens como figuras dominadoras, sentia inveja deles... "Ah, mulheres, melhores! Como vocês são monocórdicas e superficiais"(...) . "Nunca tive amigos homens", ela admirava a beleza alheia, Apaixonava-se com facilidade e frequência, porem, suas paixões poderiam passar para desprezo "odioso", raiva, apatia, com igual facilidade.
Teve grandes amores não correspondidos: Liovka, um garoto de aparência bem agradável, porém com um ar marginalizado, que logo se apaixonou e namorou uma de suas amigas, Ira. Eviguiney que seria um caso mal resolvido de sua irmã. Decepções.

3 comentários:

Maria Cleide disse...

poxa.!
será que eu sou a reencarnação de Nina? :O
ahhahaha

Betania disse...

Vc tava afim de tirar onda da cara da menina mesmo,coitada de nina...ficou otimo, o livro em poemas...

Anônimo disse...

primeiro ela nao era pessimista ela somente vivia epocas dificeis na sua vida nao sentia inveja de homens e sim de suas irma pois entao vc nao sabe de nada e eu adoro ela